sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Hoje é dia 23 de Setembro.......

 
O Outono chegou e com ele o convite para dizermos adeus às roupas fresquinhas e prepararmo-nos para usar as mais aconchegantes.
 
Mas hoje não estou aqui para vos falar de estações e condições atmosféricas,  mas para vos deixar estes dois "piquenos" que simbolizam aqueles que têm cultivado amor e amizade por um caminho de 25 anos, e que embora pesando algumas dificuldades,  assim cantam, de mãos dadas, as bodas de prata.
 
 

 Resultado de imagem para bonecos de 25 anos
 
Que a saúde lhes permita que possam continuar somando ainda muitos mais.
 
E para celebrar e até dançar se for o caso, aqui vos deixo música a preceito na companhia de quem arrebata multidões em qualquer momento ou ocasião.
 
Ora revejam uma das suas últimas atuações
 
 

 
 
E mais uma rosa vermelha que fica sempre bem nestas ocasiões.
 
 
Resultado de imagem para botão de rosas vermelhas
 
 
Bom fim de semana.
 
 

sábado, 17 de setembro de 2016

Ouçam bem


Hoje deixo-vos esta voz que se insere no novo conjunto de vozes do fado que serão certamente o prolongamento da nossa diva Amália.

Este fado que foi cantado por ela não perde interpretado por Gisela João que já tem no panorama português um lugar de destaque.



Aqui fica também a letra maravilhosa ou não fosse ela daquela dupla eterna e imbatível.

Compositor: José Carlos Ary Dos Santos / Alain Oulman

Nem um poema, nem um verso, nem um canto,
Tudo raso de ausência, tudo liso de espanto
Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,
Meu amigo está longe
E a distância é tão grande.
Nem um som, nem um grito, nem um ai
Tudo calado, todos sem mãe nem pai
Amiga noiva mãe irmã amante,
Meu amigo está longe
E a tristeza é tão grande.
Ai esta mágoa, ai este pranto, ai esta dor
Dor do amor sozinho, o amor maior
Amiga noiva mãe irmã amante,
Meu amigo está longe
E a saudade é tão grande.

Tenham um ótimo fim de semana que promete prolongar o Verão.


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Olá de novo !!!


Tenho estado ausente porque gosto de ter tempo para vos dar notícias e embora vos visite, que é para saber como vão, não tenho feito comentários.

Então, além das minhas vidas aqui ainda in heaven com os meus passarinhos, abelhas, rolas, lagartixas, toupeiras - estas a minha Riscas adora dar-me de presente - e das minhas flores, no passado domingo fui desafiada a dar um passeio.

E esse passeio foi a Vila Velha de Rodão e incluiu o Inter-cidades da Estação do Oriente


 até Rodão,


camioneta que nos esperava na estação


e nos levou até ao cais de embarque


para um belo passeio de barco nas Portas de Rodão.




A próxima foto é dedicada ao meu amigo João Menéres, embora sem a qualidade que ele imprime às suas, porque faço questão de lhe mostrar os seus amigos grifos que habitam por aqueles lados.



Seguiu-se o almoço na Pousada das Portas de Rodão e visita a um antigo lagar de azeite recentemente recuperado para visitas de grupos,



Castelo do rei Vamba - de Castelo só o nome porque era apenas uma torre -



 e depois de um lanche de novo na Pousada à beira da piscina,



a volta a Lisboa pelo mesmo caminho.

Como viram as paisagens são soberbas e só confirmam quanta beleza temos no nosso querido cantinho que alguns teimam em degradar a todo o custo.

Foi muito engraçado, o nosso grupo era de 11 pessoas todas nossas conhecidas porque esta "excursão" tinha sido planeada pelo meu comprade que não se poupou a arranjar um grupo à maneira.

O plano é da CP que tem vários itinerários com várias modalidades de 1 ou 2 dias e digo-vos que é ótimo para o preço. Caso se entusiasmem aconselho a irem em grupo porque de outro modo terão de se inserir com outras pessoas participantes.

No entanto digo-vos que um outro grupo também de 10 pessoas tinha gente muito catita que não se fez rogada em se juntar a nós num convívio muito engraçado.

Fiquem bem com saúde e sejam felizes, tanto quanto puderem.

Bom fim de semana!



sábado, 3 de setembro de 2016

Verão e Tradições


E já passou mais de um mês e aqui continuo com os meus passarinhos.

O dia a dia tem sido preenchido com um pouco de tudo e quando digo de tudo é mesmo porque as coisas têm corrido de modo diversificado.
Umas melhores outras menos boas mas temos de ir vivendo ao sabor de todas elas e tentar ultrapassá-las da melhor forma possível.

O calor tem apertado e eu, que prefiro o quente menos quente, tenho aproveitado o tempo ao sabor das temperaturas.

Independentemente das minhas banhocas na piscina e dos banhos de sol moderados, tenho passeado, tenho estado com amigos, e como as festas de aldeia são uma constante aqui nestes arredores, eu que já passei por algumas delas porque o meu neto acha graça, e eu também, tenho de eleição a de S. João das Lampas que começou ontem.

E por isso lá fomos. Considero-a a mais bem organizada para o efeito que se propõe, a de maior espaço físico servindo para que não nos sintamos engaiolados, o solo é todo relvado, o que evita aquela poeira horrível que se prende a tudo quando há muita gente, ou não fosse sempre o mesmo recinto preparado para todo o tipo de festas, festanças e concursos - decorreu ainda há pouco tempo um festival canino - enfim, acho piada e também gosto de comprar rifas, comer uma fartura e percorrer o espaço que sendo já familiar considero agradável e tradicional.

Digam lá se não gostam do aspecto da Igreja que todos os anos tem uma decoração diferente e que este ano está, a meu ver, muito bonita.



Mas a minha "província"  que também tem a praia que vocês já conhecem, há dois dias que depois de um dia fora de série com céu azul e temperaturas que nos aconselham a sombra, tem a partir aí das 6 da tarde um nevoeiro que nos chega com um contraste de nos fazer sair da rua  - hoje estava a ler e tive de entrar em casa.
Mas não é só às 6 aqui no meu sítio porque a minha comadre que também cá tem casa, foi à praia por volta das 4 e deparou-se com o cenário que aqui vos deixo para não terem pena de não estar cá.



Saliento que no momento em que vos escrevo a noite está linda e não se vislumbra qualquer tipo de nevoeiro. Até parece que não estamos a viver em Portugal tais as alterações que damos conta ao longo do dia.

E depois destas notícias, desejo-vos um bom fim de semana e um bom início de semana cheio de tudo o que houver de melhor porque eu ainda fico por cá mais uns dias, pelo menos até ao início do próximo ano letivo do meu neto o que só acontecerá no próximo dia 14.

Fiquem bem !




quarta-feira, 27 de julho de 2016

Olá de novo!

Olá a todos!

Tenho andado arredada destas lides porque desde o dia 8 que me dediquei a outros ramos da minha atuação plurifacetada.

No meu heaven só faltou trepar às árvores, coisa que o meu fim de costas de volume para além do medium size, não me deixa fazer. Mas haviam de ver. Ele foi uma volta geral nas flores, canteiros, floreiras das janelas, enfim, dediquei-me à jardinagem e afins para além das voltas habituais necessárias ao bom funcionamento desta "casota" que se enche de gente mal me pressentem nestas paragens.

De notar que também tive o cuidado de arranjar algo que desse um incentivo de que eram bem vindos.

E a mariquice da minha lagarta junto ao tronco da minha araucária?

Para além disso desde Junho que estou de SOS avó, não falando de todos os que de mim solicitam  uma ajudinha desde os 7 aos 77, mais propriamente aos 88, o que não tem sido fácil.

Mas para vos provar o que digo deixo-vos algumas imagens que refletem um pouco do meu trabalhinho de exaustão (tive dias que me doía TUDO sem saber onde começava e acabava a sensação de dor).

E depois digam-me se valeu a pena o esforço.








 

Continuação de boa semana porque o fim de semana já não tarda.

terça-feira, 5 de julho de 2016

E lá vão mais umas.... lindas!

 
Pois então digam lá ó rapaziada da minha idade se eu não sou amiga?
 
Aqui estou na continuação das raridades dos sixties para vos fazer chegar  a "caganita ao canto do olho".
 
Não pode haver alguém que diga que isto não era música que fica na memória de todos nós (antes do Alzheimer, claro).
 
Deixo-vos aqui a especialidade ao seu tempo de Engelbert Humperdinck  um anglo indiano liiiindo para verem que nada tem a ver com este senhor de 80 anos (feitos em Maio) que se transformou mais num cowboy de grandes patilhas.





 
Ouçam e se for caso disso  deem umas voltinhas que ajuda a mexer as pernas  e dá oxigénio à cuca.
 
E se não tiverem par ou se vos doer as pernas, façam os trejeitos sentados numa cadeirinha mexendo os braços para cá e para lá que já anima.
 
 

 
 
Vamos lá tentar parecer jovens outra vez.  Bora!