segunda-feira, 14 de novembro de 2016

One day I'll fly away

 
Não só pela música, mas pelo conteúdo do vídeo, inicio hoje os meus presentinhos de Natal para vocês.
 
Não que o meu espírito esteja embuído de grande alegria natalícia, porque se normalmente o meu Natal tem tido ultimamente na retaguarda um cenário de saudade e melancolia, em cena há que fazer por levantar a moral e não deixar transparecer muito do que me vai na alma.
 
E este ano, por variadíssimas e algumas novas razões, as coisas não estão no seu melhor.
 
Adiante... Digam lá se não é uma ternura este anúncio da John Lewis?
 
Há um site de nome "Tá Bonito" de onde retirei esta introdução ao vídeo porque me pareceu ter a apresentação mais precisa do que qualquer outra que eu fizesse.
  
"""O vídeo de Natal da John Lewis, conhecido retalhista britânico, é certamente um dos mais esperados da época natalícia, pois nos últimos anos emocionou milhões de pessoas em todo o mundo.
 
Este ano conta uma história para arrancar sorrisos, em vez de lágrimas, de um cão chamado Buster que adora saltar.
 
Ao som da música "One day I'll fly away",  de Randy Crawford, mas cantada pela banda britânica Vaults, é transmitida a mensagem de que é possível ter presentes para todos.
 
Mais um belo vídeo da John Lewis digno de ser partilhado !  """
 
Ouvindo esta música e vendo este vídeo vou tentar passar os problemas mais para o lado e sempre que possível - "FLY AWAY".
 
 

 
Continuação de boa semana para todos vós...
 
 
 

domingo, 13 de novembro de 2016

Saudade


Noite de Saudade

A Noite vem poisando devagar
Sobre a Terra, que inunda de amargura ...
E nem sequer a bênção do luar
A quis tornar divinamente pura ...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura ...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Por que és assim tão escura, assim tão triste?!
É que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma Saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem ...
Talvez de ti, ó Noite! ... Ou de ninguém! ...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!!

Florbela Espanca, in "Livro de Mágoas"


Não tenho maneira de o homenagear, a não ser com a recordação bem viva de si e de tudo aquilo que foi, me fez, me disse, me escreveu.

Se fosse vivo, meu pai faria hoje 94 anos. Nada de mais para a esperança de vida nos dias de hoje.

No entanto, também vos digo aqui e infelizmente confirmo pela  minha experiência , vivida na atualidade, que ainda bem que alguém parte em dignidade sem atravessar em profundidade aquele período de degradação física e moral que constatamos nas instituições, nos departamentos de onde dificilmente haverá retrocesso.

A minha tia de 88 anos (89 dia 28) caiu a 30 de Setembro e teve de colocar uma nova prótese na anca porque danificou a que tinha sem recuperação.

Depois de sair do Hospital regressou à instituição onde reside mas em vez do seu quarto tem de estar na enfermaria , quarto de três camas, onde infelizmente se encontram também  idosos em fase de perda de faculdades.

Saio sempre de lá acabrunhada mas ainda mais triste por saber que ao avanço da medicina para prolongar a vida não é dado suporte nas áreas complementares para acompanhamento dos idosos. E mesmo assim congratulo-me pelo sítio onde está.

Mas então temos ao lado a senhora que não quer estar na cadeira, depois não quer estar na cama, depois pede água de cinco em cinco minutos, enfim a repetição involuntária de palavras ou frases (ecolalia), assim como aquela do outro quarto que grita por ajuda  como se lhe estivessem a fazer mal.

Só queria ter fé e esperança que me garantissem que não chegaria a atravessar esta fase no final da minha existência, para não viver sem saber e não dar aos cuidadores e familiares um suplemento de grande carga e ansiedade.

Mas hoje alonguei-me de tristezas, possivelmente porque a minha alma acusa a saudade de meu pai e da ausência dos vinte e dois anos que se completarão a 23 do próximo mês de Dezembro.


sábado, 12 de novembro de 2016

Leonard Cohen


Há pessoas que nos marcam ao longo da vida por várias razões.

E eu só quereria saber quantas e quantas se reveem nas canções de Leonard Cohen nas diversas fases que atravessaram -  fases de tristeza, de alegria, de mais ou menos emoção.

Este grandioso compositor e intérprete de voz rouca deixou-nos aos 82 anos não sem ter conseguido fazer o que mais gostava mesmo até ao fim dos seus dias; o seu último álbum foi gravado em Outubro deste ano.

Esta será uma das canções que se sobressaiu do seu repertório, mas não deixa para trás muitas das outras que nos fez admirá-lo por tantos anos.

A vida é mesmo assim e sabemos que todos os que partem e nos deixam tão imenso legado não serão nunca esquecidos por muitas gerações.

RIP Mr. Cohen e que nós consigamos também "dance to the end of love.....and life".





terça-feira, 1 de novembro de 2016

Pão- por- Deus

 
Estive no meu heaven e ontem à noite preparei uns quantos saquinhos porque sabia que a criançada logo pela manhã começaria a bater à porta a pedir o pão-por-Deus.
 
"Em Portugal no dia 1 de Novembro, Dia de Todos-os-Santos as crianças saem à rua e juntam-se em pequenos bandos para pedir o Pão-por-Deus (ou o bolinho) de porta em porta. O dia de pão-por-deus, ou dia de todos os fieis defuntos, era o dia em que se repartia muito pão cozido pelos pobres." - (Wikipédia).
 
Em Lisboa e arredores mais chegados creio que foi caindo em desuso, mas ali chegadinho a Sintra ainda se continua a manter este ritual.
 
Se por cá ainda há sítios que a pergunta é : - "Doçura ou travessura?" por aqueles lados, em magotes - o primeiro grupo que apareceu eram nada mais nada menos do que nove - a frase é: - "Pão por Deus, pão por Deus, saco cheio vou com Deus".
 
E a graça dos sacos coloridos, tipo sacos do pão de retalhos, e eles muito contentes porque os sacos se iam realmente enchendo.
 
Este dia é também dedicado aos que partiram , mais um dia assinalado porque para nós os que amámos junto a nós, continuarão sempre a ser amados na nossa mente e alma todos os dias da nossa vida.
 
E por tudo isto deixo-vos com esta interpretação dos Mississippi Mass Choir porque em qualquer altura  "It's Good to Know Jesus"
 

 
 
Continuação de boa semana, sobretudo com muita saúde.
 


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

I love him


 
Vocês podem dizer que é mais do mesmo, mas que ele é mesmo meu ídolo não há dúvida pelo prazer e serenidade que me dá ouvi-lo e ver os seus espetáculos.
 
E por issso, se gostarem dele como eu, ou mesmo um pouquinho menos, digam lá se não é engraçado ver como vive e a simplicidade que caracteriza este homem de grande valor.
 
Embora tenha um altíssimo poder económico e tivesse certamente muitas ajudas técnicas, a forma como transformou aquele castelo soturno num local lindo e aprazível sem se sentir o fausto e a grandeza dos novos ricos é preciosa e demonstra uma maneira elegante de estar na vida.
 
A entrevistadora não era de todo necessária (neste caso uma das nossas: Cristina Esteves, Ana Sousa Dias - as que me lembro de momento, teria estado mais à altura) face à facilidade e descontração da sua auto-apresentação mas já que está implícita lá terá de ser.
 
Ora vejamos:
 

 
 
Pois fiquem sabendo que se me sair um Euromilhões mesmo que não seja muito grande e tiver saúde por mais alguns anos, eu corro a vê-lo e ouvi-lo num qualquer país europeu. E digo europeu porque os concertos dele na Europa são tantos que não seria necessário sujeitar-me a uma viagem looooonga para, por exemplo, o ir ver à Austrália (onde está neste momento).
 
Faço parte da sua lista de visitantes e por isso enviam-me regularmente as notícias sobre as suas atuações e os programas dos espetáculos que já estão agendados até meados de 2017.
 
Sempre que recebo um mail apresso-me a abri-lo para ver se alguma vez irá calhar vir a Portugal, mas estranhamente nunca acontece. Também já perguntei a razão mas não obtive resposta, mas também não percebo muito bem o porquê uma vez que vêm a Portugal tantos artistas de renome internacional.
 
Talvez o vá ver ao cinema para Novembro porque já em Julho deram um concerto ao vivo numa das salas da capital para quem não tem possibilidade de se deslocar.
 
 
 


domingo, 16 de outubro de 2016

Um presentinho de fim de semana

 
Por motivos de vária ordem e saúde familiar não me tem sido possível vir aqui mas hoje, que é fim de semana, resolvi deixar-vos este presentinho que faz arrepiar, pelo menos a mim faz, e que vos  deixo   para vos desejar que passsem um momento de deleite ao ouvi-lo.
 
 

 
 
Bom fim de semana com muita saúde e felicidade.