domingo, 21 de maio de 2017

Nunca se diz nunca...


Era ainda muito pequena e já ouvia a minha mãe dizer "Nunca se deve dizer nunca".

E por isso levei sempre muito a sério esta frase e NUNCA tive o hábito de a  usar nem ao de leve, temendo, que tal como a minha mãe dizia, que sendo todos humanos estaremos sujeitos a fazer o contrário e a não cumprir as afirmações feitas.

Pois hoje não foi propriamente um incumprimento, mas sim uma cedência a neto, filho e amigas e amigos mais chegados, que não me deixavam de azucrinar por ser uma avó fora de moda, que já não há quem não tenha facebook, and so on, and so on...

E assim lá me tentei e iniciei a saga nesta data e ao fim de muitos meses, senão anos, a dizer que me chegava o blogue e que isso não seria certamente muito possível.

O meu neto deu uma mãozinha e então lá temos como foto de fundo esta que aqui vos mostro e que é tirada da minha casa


Seguidamente, vá de escolher a foto com que serei conhecida aquém e além-mar


Mais atual do que a do blogue, não seria igual porque se não era como se o tempo não passasse e entre as duas há já uma diferença de cinco anos.

Pois bem, se algum de vós estiver com paciência, tiver facebook e estiver para aí virado, faça uma visitinha à página desta tontinha e deixe lá registada a sua presença

https://www.facebook.com/profile.php?id=100017248716517

Isto de as avós sexagenárias julgarem que podem fazer o que fazem os novos, deve ser mesmo a idade que não as deixa raciocinar a direito.

Mas avancemos sem medos porque o mundo e o relógio não param e temos de seguir as evoluções ou estamos destinadas a ficar sentadas no sofá a olhar para a televisão que ainda por cima tem pouco que se lhe diga.

E façam  favor de seguir o conselho




quinta-feira, 18 de maio de 2017

Dia Internacional dos Museus


Hoje é Dia Internacional dos Museus.

Por acaso não me lembrei quando decidi ir ao Museu de Etnologia ver a exposição World  Press Photo 2017 e quando lá cheguei e me preparava para comprar o bilhete a menina disse que hoje era gratuito.



Como sempre e embora de vez em quando falhe um ano, tenho o hábito de ver esta exposição que põe a nu muitas das realidades ouvidas mas que quando vistas têm a faculdade de nos mostrar a cores o impacto das diversas forças mundiais - humanas, naturais, animais e nem sempre pela positiva.

Fico sempre impressionada até porque gosto de fotografia e embora não tenha nenhuma habilidade natural, adoro captar sempre que possível aquilo que me impressiona à vista - um enorme navio, uma trovoada, o mar nas suas diversas versões, um animal ou as suas facetas, a graça de uma criança e assim por diante.

No entanto, na apresentação desta exposição que põe a nu tanta da crueldade mundial pode ler-se:

"Na exposição, as fotografias percorrem oito categorias, desde o desporto, a natureza, a vida quotidiana, e revelam muita da violência actual no mundo: a guerra na Síria, a crise de refugiados que tentam atravessar o Mediterrâneo, onde muitos deles perdem a vida, as prisões nas Filipinas, onde os detidos dormem alinhados em escadas, sem poder esticar as pernas."

Confirmo que, mais uma vez, algumas delas me sacudiram pela violência exposta e porque não se visualiza que as forças mundiais encontrem, a curto ou médio prazo, soluções que menorizem o sofrimento de tantos inocentes.

Tentei de seguida o novo Museu dos Coches e achei estranho estar fechado.
Já em casa, no noticiário, ouvi que reabre no próximo dia 20 - Noite Europeia dos Museus -  pois tem estado encerrado desde 26 de Abril para  montagem da museografia.


sábado, 13 de maio de 2017

Hoje foi aquele dia


Os portugueses têm todas as razões e mais uma para hoje estar felizes. Não vamos falar de política nem de economia porque senão estragamos a felicidade do momento.


O Papa Francisco visitou-nos, deixou-nos uma mensagem profunda de Fé, Esperança e Solidariedade. A sua presença transmite um sentimento de verdadeira paz e amor e a sua simplicidade cativa todos independentemente da religião que pratiquem.




De seguida ficámos a saber que o Benfica é tetra campeão nacional e claro que isto não interessa a todos, mas interessa fortemente aos benfiquistas que se fazem ouvir às businadelas pelas ruas, se estão a concentrar no Marquês de Pombal para festejar a vitória e portanto estão excitadíssimos e contentíssimos com a vitória.




E para finalizar o dia de hoje tão cheio de boas surpresas tivemos o Salvador Sobral a representar Portugal na Eurovisão com um sucesso que não nos cabia desde 2010 pois desde esse ano que um tema português não passava à final da Eurovisão.

Mas não chegando apenas a participação, o Salvador conseguiu uma proeza inimaginável que não nos passava pela cabeça desde a primeira edição do Festival em que participámos no ano de 1964.

O Salvador conquistou a Europa com a sua interpretação sentida e com a sua voz doce que nos embala e nos leva a viver a música e a letra da canção.

Parabéns Salvador
Parabéns Portugal


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Chegou o mês de Maio



Chegou Maio!

Com ele a continuação da Primavera, as flores, os aniversários - este mês é em cheio - e o correr do tempo para o Verão que se aproxima.

Os passarinhos andam numa de fazer os ninhos e os seus chilreios enchem o ar de festa e de vida.

É sempre uma alegria nesta época porque a natureza se veste de côr e tudo parece brilhar mais porque tudo tem mais movimento.

Possivelmente ainda teremos chuva, oxalá que sim porque a sua falta é sinónimo de grande preocupação ao nível da agricultura e do abastecimento geral, mas o tempo corre para a nova estação das férias grandes e do descanso de um ano de labuta.

E vem tudo isto a propósito de que ontem, lá no meu Magoito, o meu filho descobriu que temos uns quantos inquilinos novos numa arrecadação do sotão que está vedada ao resto da área por onde passamos.

Aproveitando uns pequenos nichos de entrada os passarinhos fizeram alguns ninhos lá dentro e  assim estão resguardados do frio, ventos ou mesmo chuva, como quem aluga hotel para pernoitar.

O pior é que se alguém dormir num dos quartos lá de cima, vai ter como companhia de manhã cedo o tric-tric-tric dos seus passos na azáfama de acartar as provisões necessárias para receber a prole.


segunda-feira, 24 de abril de 2017

Continua a dança


Este domingo estive a ver a RTP Memória que passou um filme de 1951  - Royal Wedding com Fred Astaire e Jane Powell.

Deu-me para aqui porque ando numa de danças e adoro ver como aquelas perninhas se mexiam.

Este filme é o que tem a tão falada cena em que Fred Astaire dança e sobe pela parede bailando no teto.

Umas cenas engraçadas para entreter uma tarde de domingo em que resolvi descansar um bocadinho frente à televisão.

Fred Astaire faleceu em 1987 mas Jane Powell continua janota nos seus 88 anos feitos no dia 1 de Abril.

Mas agora vão rir-se, ou não, do que eu descobri durante o filme. Vocês podem não achar e dizer que sou maluquinha, mas digam lá se o nosso Presidente Marcelo Rebelo de Sousa não se parece com Fred Astaire?

Quando não há coisas sérias para fazer inventam-se outras para passar o tempo em descanso.

Eu coloco aqui o Fred no centro com dois planos diferentes de MRS e vocês vão dar a vossa opinião.











Que tal acham? São os meus olhos, ou nem por isso?


domingo, 23 de abril de 2017

LA LA LAND again and yet ...

 
Não sei se viram o filme e se viram não sei se gostaram.
As opiniões divergem e por mim, já vos tinha dito: Gostei!
 
É evidente que sabiam que era um filme musical e como tal pretendeu ser uma mistura dos géneros dos musicais mais antigos e mais modernos, segundo ouvi dizer numa entrevista ao realizador Damien Chazelle e por isso uma coisa levezinha, uma estória de amor que não acaba da melhor maneira, mas será que as estórias de amor acabam  bem?
Tenho as maiores dúvidas e quanto mais à séria, mais difícil o desfecho.
 
Por isso não é por aí que algumas pessoas não gostaram.
 
Ah! Tem muita fantasia. Já se viu subir no ar e dançar nas estrelas? (este comentário ouvi eu mesma).
E então Serenata à Chuva não teve?
É normal ao mesmo tempo que se canta à chuva subir aos candeeiros?
 
Mas para além de tudo isso, o que me enlevou foi mesmo toda a parte musical do filme.
 
E já agora ouçam alguns dos temas nestas interpretações com violino, viola e piano e digam lá se não se sentem agarrados.

 
 

 
 
Bom fim de semana ...